Cantar a Pele de Lontra


PAUSA PARA O CHÁ VERDE

 

Caros, algumas novidades. No dia 06 de abril, quinta-feira, às 19h, será realizado o recital Corpo a corpo com a poesia, na Casa das Rosas, com a participação de poetas como Virna Teixeira, Fabiano Calixto, Ana Rusche e Marcelo Montenegro, entre outros. O endereço? Não vou dizer, não! Quem ainda não sabe onde fica a Casa das Rosas, é muito mané! Outras coisas: já estão on line as novas edições das revistas eletrônicas Germina e Escritoras Suicidas; a Mnemozine e a Zunái estão saindo do forno, e tem blog novo no pedaço: o Algaravária, que reúne DEZ poetas brasileiros bem recentes e de qualidade: Daniel Sampaio, Paulo de Toledo, Thiago Ponce, Angélica Freitas, Carlos Besen, Carol Custódio, Pablo Araújo, Douglas Dias, Francieli Spohr e Daniela Ramos (vários deles já publicaram na Pele de Lontra ou na Zunái). Anote o endereço dessa nova nau de insensatos: http://algaravaria.blogspot.com. Ufa! Que mais? Pode não parecer, mas eu estou de férias! Vou atualizar este blog até o final da semana, depois vou me conceder três semanas de sumiço, que ninguém é de ferro. Sayonará,

 

 



Escrito por Claudio Daniel às 00h36
[   ] [ envie esta mensagem ]






Escrito por Claudio Daniel às 22h28
[   ] [ envie esta mensagem ]




SENDAS DE OKU (II)

 

Quando, em 27 de março, me pus à caminho, havia neblina no céu da madrugada. A pálida lua matutina tinha perdido o brilho, mas ainda se podia vislumbrar debilmente o monte Fuji. Em Ueno e Yanaka, os ramos das cerejeiras em flor me despertaram pensamentos tristes ao perguntar-me se algum dia os voltaria a ver. Meus amigos mais queridos tinham todos vindo à noite na casa de Sampu, para poder me acompanhar durante o curto trecho de viagem que eu faria em barco. Quando desembarcamos num lugar chamado Senju, a idéia de começar uma viagem tão longa me encheu de tristeza. De pé sobre o caminho que talvez ia nos separar para sempre nesta vida que é como um sonho, chorei lágrimas de despedida:

 

primavera

não nos deixe

pássaros choram

lágrimas

no olho do peixe

 

 

(Tradução: Paulo Leminski, in Bashô, a lágrima do peixe, ed. Brasiliense, 1983)   



Escrito por Claudio Daniel às 22h26
[   ] [ envie esta mensagem ]




 

 

marescuro

gaivotas: gritos

vagamente brancos

 

(Tradução: Haroldo de Campos)



Escrito por Claudio Daniel às 21h23
[   ] [ envie esta mensagem ]




SENDAS DE OKU

 

Luas e sóis (meses e dias) são viajantes da eternidade. Os anos que vêm e se vão são viajantes também. Os que passam a vida a bordo de navios ou envelhecem montados a cavalo estão sempre de viagem, e seu lar se encontra ali onde suas viagens os levam. Os homens de antigamente, muitos, morreram pelos caminhos, e a mim também, durante os últimos anos, a visão de uma nuvem solitária levada pelo vento me inspirou contínuas idéias de meter o pé na estrada. O ano passado dediquei a vagar pela costa. No outono, voltei a minha cabana, às margens do rio, e a limpei das teias de aranha. Aí, me surpreendeu o fim do ano. Quando veio a primavera e houve neblina no ar, pensei em ir a Oku, atravessando a barreira de Shirakawa. Tudo o que via me convidava a viajar, e estava tão possuído pelos deuses que não podia dominar meus pensamentos. Os espíritos do caminho me faziam sinais, e descobri que não podia continuar trabalhando. Remendei minhas calças rasgadas e troquei as tiras do meu chapéu de palha. A fim de me fortalecer as pernas para a viagem, me untei de moka queimada. Logo a idéia da lua na ilha de Matsushima começou a apoderar-se de meus pensamentos. Quando vendi minha cabana e me mudei para o sítio de Sampu para esperar ali o dia da partida, pendurei este poema numa viga da minha choça:

 

a cabana de ervas secas

(o mundo tudo muda)

vira casa de bonecas

 

 

(Fragmento inicial de Sendas de Oku, de Matsuo Bashô, em tradução de Leminski.)

 

 

SOBRE O LIVRO: Este importante diário de viagens do poeta japonês, recheado de haicais e de histórias e lendas tradicionais ouvidas pelos caminhos, foi traduzido no final dos anos 70 por Olga Savary, a partir da versão espanhola de Octavio Paz, e publicado pela saudosa editora de Roswita Kempf. O volume, é claro, está esgotado há muito tempo. No final dos anos 90, o diário de Bashô recebeu nova tradução de Alberto Marsicano, com o título Trilha estreita do confim, e foi publicado pela editora Iluminuras. O título ainda se encontra disponível em livrarias.



Escrito por Claudio Daniel às 21h21
[   ] [ envie esta mensagem ]






Escrito por Claudio Daniel às 20h03
[   ] [ envie esta mensagem ]




TRÊS VEZES NENPUKU SATO

 

pássaros migrando

por toda a minha vida

ceifar tudo que planto

 

 

* * *

 

sementes de algodão

agora são de vento

as minhas mãos

 

 

* * *

 

a geada queimou tudo

até o cachorro

anda a esmo

 

 

(Traduções: Maurício Arruda Mendonça,

in Trilha forrada de folhas, ed. Ciência do Acidente, 1999.)



Escrito por Claudio Daniel às 20h02
[   ] [ envie esta mensagem ]




ISSA EM DOBRO

 

pobre sim pobre pobre pobre

a mais pobre das províncias

mas sinta esta brisa

 

* * *

 

nuvem de mosquito

atrás dela

quioto

 

 

(Traduções: Paulo Leminski, in Bashô, a lágrima do peixe,

ed. Brasiliense, 1983)



Escrito por Claudio Daniel às 20h02
[   ] [ envie esta mensagem ]




 

DOIS POEMAS DE BUSON

  

branco crisântemo

por um instante

hesita a tesoura

 

(Tradução: Alberto Marsicano)

 

 

***

 

outono a tarde cai

penso apenas

em minha mãe e meu pai

 

(Tradução: Paulo Leminski)



Escrito por Claudio Daniel às 21h59
[   ] [ envie esta mensagem ]






Escrito por Claudio Daniel às 23h16
[   ] [ envie esta mensagem ]




no pântano na montanha

nada se move

na manhã de neve

 

* * *

 

colchão de mendigo

cheio de graça

vozes dos grilos

 

* * *

 

orvalho da flor vermelha

é só água

que derrama 

 

 

(Três poemas de Chiyo-ni, traduzidos por Alice Ruiz,

in Dez Hai Kais, editora Noa Noa, Ilha de Santa Catarina, 1981)



Escrito por Claudio Daniel às 23h15
[   ] [ envie esta mensagem ]






Escrito por Claudio Daniel às 23h24
[   ] [ envie esta mensagem ]




BASHÔ EM 3 X 4

 

chuva de primavera

a água escorre do teto

pelo ninho de vespas

 

silêncio

o som das cigarras

penetra as pedras

 

do orvalho

nunca esqueça

o branco gosto solitário

 

o mar escurece

a voz das gaivotas

quase branca

 

 

(Traduções: Paulo Leminski, in Bashô, a Lágrima do Peixe, Editora Brasiliense, São Paulo, 1983)



Escrito por Claudio Daniel às 23h21
[   ] [ envie esta mensagem ]




IMAGENS DO JAPÃO

 

 

No meio do mato

a flor branca

seu nome desconhecido

 

(Haicai de Shiki. Tradução: Maurício Arruda Mendonça)



Escrito por Claudio Daniel às 22h45
[   ] [ envie esta mensagem ]




OLOKUM

 

 

Caros, está on line o blog Olokum, dedicado ao diálogo com as poéticas da África. Desde os cantos da tradição oral até a produção literária contemporânea da África de língua portuguesa (Angola, Moçambique, Guiné Bissau, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe) e ainda das outras Áfricas, em sua infinita variedade de idiomas, dialetos e manifestações culturais. A página é editada por Ana Rusche, Virna Teixeira e por mim. Ah, claro, anotem o endereço: http://olokum.zip.net/

 

 

EM TEMPO: o poeta angolano Conceição Cristóvão está em visita a São Paulo, e devo encontrá-lo por esses dias para uma conversa.

 



Escrito por Claudio Daniel às 10h52
[   ] [ envie esta mensagem ]


[ ver mensagens anteriores ]


 
Histórico
  02/04/2006 a 08/04/2006
  26/03/2006 a 01/04/2006
  19/03/2006 a 25/03/2006
  12/03/2006 a 18/03/2006
  05/03/2006 a 11/03/2006
  26/02/2006 a 04/03/2006
  19/02/2006 a 25/02/2006
  12/02/2006 a 18/02/2006
  05/02/2006 a 11/02/2006
  29/01/2006 a 04/02/2006
  22/01/2006 a 28/01/2006
  15/01/2006 a 21/01/2006
  08/01/2006 a 14/01/2006
  01/01/2006 a 07/01/2006
  25/12/2005 a 31/12/2005
  18/12/2005 a 24/12/2005
  11/12/2005 a 17/12/2005
  04/12/2005 a 10/12/2005
  27/11/2005 a 03/12/2005
  20/11/2005 a 26/11/2005
  13/11/2005 a 19/11/2005
  06/11/2005 a 12/11/2005
  30/10/2005 a 05/11/2005
  23/10/2005 a 29/10/2005
  16/10/2005 a 22/10/2005
  09/10/2005 a 15/10/2005


Outros sites
  Cantar a Pele de Lontra (Arquivos antigos)
  Augusto de Campos
  Haroldo de Campos
  Paulo Leminski
  Arnaldo Antunes
  Frederico Barbosa
  Ademir Assunção
  Ricardo Aleixo
  Virna Teixeira
  Zunái, Revista de Poesia e Debates
  Na Virada do Século, Poesia de Invenção no Brasil
  Figuras Metálicas
  Marcelino Freire
  Adriana Zapparoli
  Ana Peluso
  Pop Box
  Cronópios
  Revista Mnemozine
  O Pesa-Nervos
  Officina do Pensamento
  Jornal de Poesia
  Germina
  Revista Errática
  Linaldo Guedes
  Caqui (site sobre haicai)
  Correio das Artes
  Museu de Cabul
  Gerald Thomas
  José Kozer
  Herberto Helder
  Maria Esther Maciel
  Fabiano Calixto
  Regina Silveira
  Joca Reiners Terron
  Douglas Diegues
  Dharmanet (site budista)
  Boddhisattva (site budista),
  Templo Zulái
  Sociedade Taoísta do Brasil
  Ramakrishna (filosofia vedanta)
  Azougue Editorial
  Paulo de Toledo
  Marcelo Sahea
  Rodrigo de Souza Leão
  Movimento Literatura Urgente
  Carta de Abu Grahib
  Palavra de Pantera
  A solução é derrubar (blog anti-VEJA)
  Ana Ramiro (Girapemba)
  O barco bêbado
  Claudio Daniel Home Page
  OLOKUM
Votação
  Dê uma nota para meu blog